lunes, 19 de marzo de 2012

DROGAS: O QUE PODE AJUDAR UM DEPENDENTE QUÍMICO SAIR DESSA!




A cara dos tratamentos para recuperar viciados, dependentes químicos está mudando... Hoje o médico entra em cena com remédios capazes de aliviar a agonia de quem tenta largar os tóxicos. Foi-se o tempo que o uso de drogas era sinônimo apenas de distúrbio psicológico. Os remédios entram no lugar dos psicólogos na prestação dos primeiros socorros para quem decide dar um basta ao vício. “Só quando o paciente se encontra em condições físicas é que vem as sessões de análise e programas de recuperação como os 12 passos do Alcoólicos Anônimos e Narcóticos Anônimos, bem como alternativas da medicina espiritual, com recursos da doutrina espírita aliadas aos conhecimentos médico-científicos para reabilitar dependentes químicos.

A medicina moderna é capaz de ajudar a pessoa, através da medicação, a acionar a fabricação de serotonina, endorfina que fazem com que a pessoa se sinta melhor, sem dores ou nervosismo. Os medicamentos podem aliviar estes sintomas. A dependência química já é, em si, uma dor, não precisamos sofrer tanto. Enfim, essas drogas substitutas aliviam a necessidade de usar a droga de preferência e a síndrome de abstinência compulsiva obsessiva é neutralizada.

DEPENDÊNCIA QUÍMICA E TRATAMENTO ESPÍRITA

Vamos falar agora de alguns passos, princípios e diretrizes para uma reabilitação segura da dependência química:

O tratamento da dependência de drogas não é simples, necessita ser voluntário e não imposto, na medida do possível é claro. O diálogo é fundamental, sem acusações ou levantamento de culpas.

É muito importante aliviar o grau da dependência para se buscar a terapia mais adequada, porque não existe um tratamento padrão, o tratamento precisa ser profundo com a participação da família. A “psicoterapia integrada” conta com uma equipe interdisciplinar bem treinada, cabendo destacar aqui que o princípio, o despertar dos sentimentos de espiritualidade,  em um dependente, constitui-se como o elemento eficaz e tão importante quanto a psicoterapia.

Em minha recuperação, depois de várias internações em comunidades terapêuticas, clinicas voluntárias e involuntárias,  usei uma metodologia de acordo com o meu grau de dependência do álcool e do crack, eu era um consumidor obsessivo compulsivo e optei pela intervenção medicamentosa internando-me em uma unidade psiquiátrica visando a desintoxicação coordenada por um psiquiatra competente e uma equipe de apoio. Assim, com uma grande bagagem de experiência, adquirida nestas internações me vi com conhecimentos e ferramentas para minha reinserção social e com uma necessidade de ajudar pessoas que passam pelos mesmos problemas.  Creio que na maioria dos casos de compulsão obsessiva seja necessário passar por processos de desintoxicação e internação por um período mínimo de 6 meses para adquirir habilidades que nos fortalecem para a recuperação e posteriormente uma cura total. A terapia espiritualista é reconhecidamente importante pois possui métodos de fluidoterapia e terapia desobsessiva feita por voluntários e embasadas na doutrina espírita.

Para vencer o vício ainda temos que vencer um determinismo da ciência médica que diz que a dependência química é uma “doença incurável, progressiva e fatal” e por isso o tratamento médico espiritual é de suma importância. O determinismo médico só é vencido pela vontade de se curar e pelo nosso encontro com Deus. Podemos nos basear nas palavras de Jesus para entrar em contato com nosso ser essencial e nos curar completamente: “A fé remove montanhas” e “Tudo posso Naquele que me fortalece”.

Existem vários centros de tratamento em todo o Brasil , as unidades de Apoio à dependentes químicos estão espalhadas por todo país:

CAP’S
CENTRO DE ATENDIMENTO PSICOSSOCIAL,
PROGRAMA DE ALCOOL E DROGAS,
SOS E MUITOS OUTROS. 

Estou aqui para ajudar no que for necessário, com esclarecimentos, indicações de clínicas e comunidades eficientes e com estatísticas comprovadas de recuperação e cura.

Para entrar em contato comigo me escreva: marcio.soares86@yahoo.com.br

É importante lembrar que não somos responsáveis pela nossa doença, mas sim pela nossa recuperação!

Juntos vamos conseguir vencer esta batalha, basta ter boa vontade e mente aberta!

Aguarde os próximos textos.

Será uma alegria receber seu comentário!

Sou grato.

Márcio Soares

1 comentario:

  1. depois que grampeei o celular de meu filho com o www.brunoespiao.com.br eu descobri que ele estava usando drogas, depois de muita conversa consegui reverter essa situação de desespero

    ResponderEliminar